Oncogeriatria: Envelhecimento e Câncer

Receba nossa newsletter. Cadastre-se!



Oncogeriatria: Envelhecimento e Câncer

Quando o paciente recebe o diagnóstico de câncer, o primeiro desafio é a busca pelo melhor tratamento. Com os avanços da medicina, principalmente na área oncológica, contar com uma equipe de excelência somada a recursos tecnológicos de última geração fazem toda a diferença. Sendo de suma importância o atendimento multidisciplinar oncológico para o tratamento do idoso com câncer.

A incidência de câncer em pessoas acima de 60 anos vem crescendo em ritmo acelerado e, devido às peculiaridades dos pacientes idosos, começa a ganhar força o atendimento com enfoque oncogeriátrico, que tem como finalidade oferecer cuidado multidisciplinar ao idoso com câncer. O principal objetivo da oncogeriatria é definir juntamente com o paciente e sua família, por meio da aplicação de uma avaliação geriátrica ampla, o melhor tratamento para o idoso com câncer.

Durante a avaliação do idoso, são analisados os aspectos nutricionais, cognição (problemas de memória), alterações de humor, polifarmácia (quais remédios o idoso utiliza e os riscos de interação), teste de equilíbrio (avaliação de riscos de queda), comorbidades (doenças pré-existentes) e funcionalidade (atividades da vida diária como cuidados pessoais e realização de atividades sem o auxílio de familiares). A partir desta avaliação, o idoso vai receber o tratamento adequado para a sua condição. 

Por meio dos resultados dessa avaliação, a equipe multidisciplinar (composta por nutricionista, fisioterapeuta, farmacêutico, psicólogo, oncologista e geriatra) verificará se o paciente idoso apresenta boas condições clínicas e físicas para receber o tratamento quimioterápico. Idosos x Câncer:

A parcela da população brasileira que mais cresce é a de idosos, e o câncer já ocupa o segundo lugar como causa de morte entre essa faixa etária. É de extrema importância estarmos preparados para oferecer um acompanhamento geriátrico completo que, aliado as novas técnicas cirúrgicas e as drogas modernas, proporcione mais possibilidades de tratamento e qualidade de vida aos pacientes.

Fonte: Jornal do Brasil

Atenção: Permito a reprodução dos artigos desde que citada a fonte.

Compartilhar!