Oncoestética: Da auto-estima a Cura!

Receba nossa newsletter. Cadastre-se!



Oncoestética: Da auto-estima a Cura!

Sabemos que, todas as pessoas que recebem a notícia de que tem câncer,  além de todas as alterações físicas que podem ocorrer pelo tratamento ou pela doença, os aspectos psicológicos também acabam sendo abalados através de pensamento negativos em relação a imagem corporal que é agravada em uma sociedade que essencialmente busca a aparência perfeita.

Consequente a isso, ocorre uma repercussão em relação a auto-estima que pode ser definida como o apreço, valorização e confiança que uma pessoa tem por si própria.

Alterações relacionadas ao tratamento como, por exemplo a alopecia (queda de cabelos e pelos), é uma das principais causas de receio e anseio entre os pacientes, por além da repercussão estética de alguma forma acaba dando ao paciente “a cara do câncer.” Além disso, algumas cirurgias oncológicas acabam gerando mutilações que podem levar inclusive a quadros depressivos, devido a distorção estética gerada.

Ai que entra a Oncoestética, que tem como objetivo, trabalhar o bem estar e auto-estima de todos aqueles que precisam frequentar constantemente hospitais e passar pelo doloroso tratamento do câncer, assim, objetivando melhorar  a qualidade de vida, através do apoio para que o paciente perceba que não está sozinho.

Algumas dessas situações são temporárias e podem ser amenizadas com atitudes simples como:

  • Usar maquiagem ou um lápis para desenhar as sobrancelhas no dia a dia;
  • Uso de turbantes e lenços, como um acessório charmoso em suas diferentes formas de amarração;
  • Uso de perucas com cores e tamanhos o mais próximo do cabelo original (exceto se a paciente quiser fazer uma mudança radical);
  • Manter a hidratação e cuidados com a pele que pode sofrer alterações pelo uso da quimioterapia ou radioterapia, em que há perda do manto hidrolipídico pela radiação provocando ressecamentos.
  • Realizar massagens relaxantes e drenagem linfática, para melhora a oxigenação e vascularização tecidual, além do poder proporcionado pelo toque físico que traz um beneficio físico e mental;
  • Manter atividades físicas prazerosas e alongamentos para prevenção ou redução das tensões musculares,
  • Uso de próteses mamárias externas para pacientes que realizaram mastectomia.

Esses são alguns exemplos, mas o mais importante é olhar de maneira individual e não desqualificar a insatisfação estética do paciente, ouvindo com atenção e carinho e auxiliando de maneira acolherada na melhor forma de auxiliar na melhora de sua autoestima.

 

Dra. Andreza Carvalho Silva

Especialização em Neurologia Muscular pela UNIFESP
Pós Graduanda em Dermato Funcional
Crefito 124000/f-3

Atenção: Permito a reprodução dos artigos desde que citada a fonte.

Compartilhar!